• Isis Stelmo

É carnavaaaaaaaal!

Atualizado: 16 de Jul de 2019



Ou quase... Ainda não estamos na semana propriamente dita, mas as comemorações já se iniciaram em encontros em barzinhos, blocos de rua, onde se conhece gente nova, interessante e bonita e... bem... acaba rolando uns beijos, não é mesmo?!

Se, por um lado, beijar faz muito bem para a saúde porque libera endorfina, ficamos eufóricos e felizes e ocupamos 5 nervos cranianos e muitos músculos, por outro, a gente não sabe por onde passou a boquinha da outra pessoa:

Mononucleose infecciosa

Também conhecida como doença do beijo, essa enfermidade é transmitida via oral-oral. A faixa etária mais acometida é entre 15 a 25 anos. A doença manifesta-se após a contaminação com o vírus Epstein-Barr (ou herpes vírus 4). O organismo não consegue eliminar o vírus, assim como todos os vírus da herpes, mesmo que os sinais clínicos jánão existam mais.

Os sintomas são: mal-estar, mialgia e fadiga duas semanas antes do início da febre. "A apresentação clínica clássica da moléstia consiste na tríade composta de febre alta, faringite e linfadenomegalia. Todavia, outras manifestações podem estar presentes – variando em incidência –, tais como artralgia, dor abdominal, esplenomegalia, exantema, hepatomegalia discreta – raramente com icterícia –, náuseas, vômitos e tosse, dentre outros." (Oliveira et al, 2012).

É difícil de ser diagnosticada, pois os sintomas se confundem com os de outras doenças infecciosas.

Herpes

Causada pelo Herpes simplex virus, é transmitida na fase purulenta da doença, quando as bolhas estouram liberando o líquido cheio de vírus.

Geralmente a contaminação ocorre na infância e o vírus se aloja em algum nervo, geralmente próximo a boca, e fica adormecido. Sua reativação pode ocorrer (ou não, dependendo da imunidade da pessoa) devido aos seguintes fatores:

  • exposição à luz solar intensa;

  • fadiga física e mental;

  • estresse emocional;

  • febre;

  • outras infecções que diminuam a resistência orgânica.

A manifestação da condição clínica dura em torno de 5 a 10 dias. O tratamento deve ser iniciado assim que os sintomas começam. O contaminado deve evitar beijar e conversar muito próximo a outras pessoas, se for no genital, deve evitar fazer sexo; deve sempre lavar as mãos após tocar as feridas, pois pode haver autocontaminação para outras partes do corpo.

Candidíase oral

Também conhecida popularmente como "sapinho", é causada pelo desenvolvimento de um fungo já existente na mucosa da pele, por conta do calor, umidade e atrito. A forma mais comum, pseudomembranosa, caracteriza-se pela formação de placas brancas removíveis na mucosa oral. O tratamento é realizado com um remédio antifúngico indicado pelo médico.

Apesar de tudo isso, ninguém aqui está dizendo para a galera não se divertir ou não cair na folia,ok? Mas, como sempre digo: nossa melhor arma é a informação ;-)

Referências

Biblioteca Virtual em Saúde. Herpes. Dicas em saúde, 2011. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/230_herpes.html>

Biologia Total. A ciência do beijo. Disponível em: <https://www.biologiatotal.com.br/blog/a+ciencia+do+beijo-168.html> Acesso em 13 fev 2017.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Dermatologia na Atenção Básica / Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde.- 1ª edição. - Brasília: Ministério da Saúde, 2002. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guiafinal9.pdf> Acesso em 13 fev 2017

Oliveira, JL et al. O vírus Epstein-Barr e a mononucleose infecciosa. Rev Bras Clin Med. São Paulo, 2012 nov-dez;10(6):535-43. Disponível em: <http://files.bvs.br/upload/S/1679-1010/2012/v10n6/a3190.pdf> Acesso em 13 fev 2017.

#carnaval #beijo #doençadobeijo #herpes

0 visualização