• Isis Stelmo

Cozinhar



... é um ato de liberdade

Lembro muito bem de quando eu era criança e ajudava minha mãe a fazer bolos de laranja e maracujá, pão de queijo e quando, ajudando minha avó a fazer um bolo, joguei 3 "ovos inteiros" (com casca e tudo na tigela heheh, devia ter uns 4 anos).

Meus pais sempre trabalharam fora e com 11 anos minha mãe fez questão de me ensinar a fazer arroz, grelhar carnes e preparar uma salada pra eu conseguir me virar sozinha e já ir adiantando algumas coisas para ajudá-la quando chegasse do trabalho. Às vezes, ligava para minha avó para tirar dúvidas sobre como fazer um bife acebolado.

Graças a isso, quando fui morar sozinha, não fiquei completamente perdida e consegui aguçar a curiosidade e aprender a preparar pratos diferentes, a usar temperos diferentes, a compartilhar minha comida com outras pessoas.

Cozinhar, muito mais do que apenas uma habilidade, nos coloca no patamar de civilização, afinal nós somos os únicos animais capazes de dominar o fogo, combinar e alterar alimentos de maneira complexa (até mesmo em preparações cruas).

É muito triste ouvir ouvir um "eu não sei" ou "eu não gosto de cozinhar", pois fazê-lo vai além de preferências pessoais. É necessário, assim como outras atividades diárias, como escovar os dentes ou tomar banho.

É uma questão de saúde.

Cozinhar, além de proporcionar pequenas novas descobertas diárias, partilhar o alimento, reproduzir tradições familiares e nos fazer lembrarmos da onde somos, também faz parte daqueles hábitos para se alcançar uma alimentação saudável, afinal pressupõe-se que, quanto mais um indivíduo cozinhe, mais sua alimentação será baseada em alimentos in natura e minimamente processados.

Acredito que o maior impedimento para se chegar perto da cozinha é o medo do fracasso, das receitas darem errado. Mas, como já ouvi uma vez de uma cozinheira, nada se perde dentro da cozinha, tudo se transforma e não há certo e errado. O importante é começar, com receitas simples no começo, pois não há aperfeiçoamento sem prática. E, hoje em dia com acesso fácil a receitas na internet, ficou ainda mais fácil!

E aí? Mãos à obra?

Referências:

Comida como Cultura. Mássimo Montanari (org.). Editora SENAC.

Diez-Garcia RW, Castro IRR. A culinária como objeto de estudo e de intervenção no campo da Alimentação e Nutrição. Ciência & Saúde Coletiva, 16(1):91-98, 2011

#cozinhar #técnicadietética #prazer #comer #liberdade #alimentação #saúde

2 visualizações