• Fernanda Ramos

Carotenemia: a pigmentação alaranjada na pele


Você já viu ou teve esse fenômeno?

Ele é caracterizado pela pigmentação amarelada/alaranjada na pele, especialmente na palma da mão e na sola do pé e é causado, na maior parte das vezes, pelo alto consumo de alimentos ricos em carotenóides.


Os carotenóides compreendem cerca de 600 compostos encontrados na natureza, dentre os quais 5% tem atividade pró vitaminínica A, como β, α e γ carotenos. Nessa classe são ainda licopeno, zeaxantina, luteína, violaxantina e astaxantina.

O caroteno pode ser encontrado em frutas e vegetais vermelhos, laranjas, amarelos e verdes, incluindo cenoura, laranja, batata doce, abóbora, entre outros. Além da cor e da atividade pró vitamínica A, esses compostos tem efeito antioxidante, com benefícios no sistema imune e reprodutor, atuando ainda como fator de proteção contra os danos dos raios UV.

O JAMA Clinical Challenge publicou há uma semana um caso clínico muito interessante de uma mulher, sem comorbidades, que deu entrada no hospital com colocação amarelada na palma da mão e sola do pé após iniciar ingestão de suplementação contendo β caroteno em altas doses, sendo diagnosticada com carotenemia.


Vale ressaltar que além das fontes alimentares, considerando que não são sintetizados pelo organismo, os carotenos podem ser obtidos por meio de suplementos compostos de concentrados de β caroteno, luteína e licopeno, principalmente.

A carotenemia é uma condição benigna produzida pelo nosso organismo em resposta prolongada (de 4 a 6 semanas) a altas quantidades de carotenóides no sangue, que se acumulam na pele devido ao mecanismo de proteção contra toxicidade de vitamina A, fazendo com que a conversão de caroteno a vitamina A seja bastante lenta.

Dentre as causas há três tipos de processos relacionados: ingestão excessiva, biotransformação reduzida e hiperlipidemia.

E ai, a mágica acontece: a pele passa a ficar mais amarelada ou alaranjada. Da até pra usar da alimentação saudável como ajuda pra manter o bronzeado, veja só! :P

Um estudo australiano de 2015 realizado em mulheres jovens reafirmou os resultados de estudos mais antigos de que a ingestão de frutas e vegetais em maior quantidade foi significativamente associada com maior pigmentação amarela na pele, especialmente dos alimentos fontes de luteína, zeaxantina e licopeno, mesmo em peles não expostas ao sol.

Em um outro estudo randomizado e controlado realizado na Malásia no mesmo ano os resultados foram semelhantes, provando que a coloração da pele também está relacionada com a alimentação, independente da hemoglobina e da exposição solar.

Curiosamente, um pequeno número de indivíduos que não possuem dioxigenase, enzima participante da conversão de caroteno a vitamina A, sofre de carotenemia assintomática mesmo com baixa ingestão.

O mundo ta cheio de coisas interessantes, não é mesmo?

Referências

Wang Z, Liu X, Li J. Woman With Yellow Palms and Soles. JAMA, 2017, 317 (15).

Yuyama LKO, Marinho HA, Alencar FH, Yonekura L, Cozzolino SMF. Vitamina A e Carotenoides in Biodisponibilidade de Nutrientes. Cozzolino SMF (org). 4 ed. Barueri, SP: Manole, 2012

Pezdirc K, Hutchesson MJ, Whitehead R, Ozakinci G, Perrett D, Collins CE. Fruit, Vegetable and Dietary Carotenoid Intakes Explain Variation in Skin-Color in Young Caucasian Women: a Cross-Sectional Study. Nutrients 2015, 7, 5800-5815;

Tan KW, Graf BA, Mitra SR, Stephen ID. Daily Consumption of a Fruit and Vegetable Smoothie Alters Facial Skin Color. PLoSONE. 2015. 10(7): e0133445

#pelealaranjada #carotenemia #carotenos

21,290 visualizações