• Sabrina Wertzner

Atualização: 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial - Tratamento Não Medicamentoso


Em Setembro de 2016, as Sociedades Brasileira de Cardiologia, Hipertensão e Nefrologia, publicaram, em conjunto, a 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial, cujo objetivo é orientar os profissionais de saúde quanto às medidas preventivas e a atenção aos portadores de hipertensão arterial, visando reduzir as complicações da doença (como, por exemplo, a Doença Renal).


Para que você esteja sempre atualizado, resumi aqui as diretrizes estipuladas para o Tratamento Não Medicamentoso da Hipertensão Arterial (HA) pelo Grau de Recomendação (GR) e Nível de Evidência (NE):

  1. Controle do peso corporal (GR: I; NE: A)

  • O aumento de peso e o aumento da gordura visceral são fatores de risco para HA.

  • Por outro lado, reduções de peso e de circunferência abdominal correlacionam-se com reduções da pressão arterial (PA) e melhora metabólica.

  • Apesar de serem descritas como dietas (e nós sempre enfatizamos a importância de uma alimentação saudável e sustentável, sem amarras), orientações com base na dieta DASH (GR: I; NE: A), Mediterrânea (GR: IIa; NE: B) e Vegetarianas (GR: IIa; NE: B) enfatizam a ingestão de alimentos in natura, minimamente processado e processados, limitando e evitando o consumo de álcool, carne vermelha, doces, bebidas com açúcar e alimentos ultraprocessados.

  1. Movimentação do corpo

  • A prática regular de atividade física pode ser benéfica tanto na prevenção quanto no tratamento da HA;

  • Treinamento aeróbico: recomendado como forma preferencial de exercício para a prevenção e o tratamento da HA. (GR: I; NE: A)

  • Treinamento resistido dinâmico: recomendado na HA, em complemento ao aeróbico. (GR: IIa; NE: B).

  1. Diminuição do consumo de álcool (GR: I; NE: B)

  • O consumo habitual de álcool eleva a PA de forma linear e o consumo excessivo associa-se com aumento na incidência de HA.

  1. Redução do consumo de sódio (GR: IIa; NE: B)

  • Olha que louco! O consumo médio de sódio do brasileiro é de 11,4 g/dia, enquanto a recomendação associada à diminuição da pressão arterial é de cerca de 2,0 g/dia.

  1. Ingestão de peixes (GR: IIa; NE: B)

  • Os ácidos graxos ômega-3 (EPA e DHA) provenientes dos óleos de peixe estão associados com uma redução modesta da pressão arterial.

  1. Psicoterapias comportamentais, práticas de meditação e respiração (GR: IIa; NE: B)

  • Indicações clínicas revelam forte tendência de redução da PA quando essas técnicas são realizadas separadamente ou em conjunto, para controle do estresse.

  • O exercício de respiração requer a redução da frequência respiratória para menos de 6 a 10 respirações/minuto durante 15-20 minutos/dia para promover redução na PA.

  1. Café, chocolate amargo (70%) e chá verde em quantidades moderadas! (GR: IIa, IIb e IIb respectivamente; NE: B)

  • Evidências mostram que os polifenóis e catequinas presentes nas bebidas e no queridinho podem favorecer a redução da PA.

  1. Ingestão de fibras (GR: IIb; NE: B)

  • A ingestão de fibras promove discreta diminuição da PA.

  1. Ingestão de oleaginosas (nozes, castanhas, amêndoas, etc.) (GR: IIb; NE: B)

  • Mais que apenas a redução da PA, o consumo de oleaginosas está associado ao controle de vários fatores de risco cardiovascular.

  1. Ingestão de leite e derivados (GR: IIb; NE: B)

  • Em especial os com baixo teor de gordura, há evidências de que seus micronutrientes podem diminuir a PA.

  1. Alho nas preparações (GR: IIb; NE: B)

  • O espanta vampiros possui inúmeros componentes bioativos, como a alicina e a s-alil-cisteína, e nota-se uma discreta diminuição da PA com a adição deste na alimentação.

  1. Pare de fumar! (GR: III, NE: B)

  • O tabagismo aumenta o risco para mais de 25 doenças. Fumar é um fator negativo no controle de hipertensos, no desconhecimento da HAS e na interrupção do uso de medicamentos anti-hipertensivos.

Resumindo: queremos te ver bem, feliz e saudável!

Repetimos orientações simples para que você:

Adote de uma alimentação saudável e sustentável - de preferência com o acompanhamento de um profissional. Opte por alimentos in natura, minimamente processado e processados. Pratique atividade física, exercite sua mente também com terapias comportamentais e atenção plena/meditação (guida, se preferir) . Abandone vícios e hábitos nocivos.

MALACHIAS, MVB et al. Capítulo 6 - Tratamento não medicamentoso. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, [s.l.], v. 107, n. 3, p.30-33, set. 2016. GN1 Genesis Network. http://dx.doi.org/10.5935/abc.20160156. Disponível em: <http://publicacoes.cardiol.br/2014/diretrizes/2016/05_HIPERTENSAO_ARTERIAL.pdf>. Acesso em: 13 mar. 2017.

#7ªDiretrizBrasileiradeHipertensãoArterial #TratamentoNãoMedicamentoso

13 visualizações