• Fernanda Ramos

Colágeno e saúde da pele


O uso de suplementos nutricionais tem se tornado cada vez mais comum para melhorar a qualidade de vida e reverter mudanças associadas com o envelhecimento natural.

Nesse contexto, mais recentemente a preocupação com a aparência da pele aumentou e surgiu uma série de produtos de suplementação contendo colágeno, como comprimidos, cápsulas, bebidas e doces.

E por que o tal do colágeno?


O colágeno é o componente estrutural mais prevalente em tecidos como ossos, tendões e na PELE, atuando na manutenção da estabilidade e integridade estrutural.

Há vários tipos distintos de colágeno, variando sua estrutura e função biológica.

A equação é simples: se o colágeno é a proteína estrutural mais prevalente na pele, consumi-lo como suplemento nutricional aumenta a formação de novas células na pele, especificamente na derme, a estrutura que perde significativa massa com o envelhecimento.

E foi aí que o colágeno ganhou popularidade: pelas alegações de antienvelhecimento e manutenção de uma aparência melhor da pele.


A pele é composta principalmente por colágeno, proteoglicanos, elastina e queratina,

garantindo a função adequada de células como fibroblastos e queratinócitos. As características da pele, incluindo aparência e integridade é influenciada por fatores internos e externos como idade, hormônios, alimentação e radiação dos raios UV.

O colágeno é uma das proteínas com mais baixo valor nutricional, na sua forma natural, desnaturada ou hidrolisada, por ter baixos níveis dos 9 aminoácidos indispensáveis (menos de 50% das necessidades), não sendo considerado uma proteína completa.

A origem do colágeno dos suplementos nutricionais são boi, porco ou peixe. Alguns suplementos são adicionados de outros aminoácidos para melhorar o perfil protéico.

Para estar biologicamente ativo na pele, o colágeno ingerido tem que ser capaz de atravessar a barreira intestinal, chegar na corrente sanguínea e ser transportado para a pele em quantidade suficiente para desempenhar papel nos processos metabólicos ou ser incorporado nesta. Como toda proteína, ele será degradado em aminoácidos durante a digestão e etapas da absorção no trato gastrintestinal e deve ser garantida ainda a manutenção do potencial biológico, que pode ser perdido nesse processo.

Dessa forma, existem dúvidas sobre a alegação da eficácia biológica dos suplementos que contém colágeno.

Por um lado, é observado que quando consumido em pequenas quantidades, o colágeno pode não atingir o objetivo de gerar quantidade significativa de novo colágeno nos tecidos. Há, ainda, um aminoácido presente na proteína, chamado hidroxiprolina, que não pode ser reutilizado para produzir novo colágeno. Ele tem que ser incorporado como prolina para depois ser modificado a hidroxiprolina antes que possa ser incorporado na nova molécula de colágeno.

Por outro lado, publicações demonstram que a formação do colágeno é aumentada em pessoas que consomem diariamente suplemento da proteína. Há ainda relatos de melhora na hidratação e textura da pele, efeito secundário de outro componente que acompanha os suplementos, o ácido hialurônico.

A limitação é que a maior parte dos estudos com efeito positivo foi feita in vitro, em ratos ou quando em seres humanos, com pequena quantidade de participantes.

O que se tem afirmado é que a suplementação de colágeno pode potencialmente estimular o metabolismo de formação da matriz extracelular da pele e levar ao aumento da quantidade de colágeno na estrutura, melhorando a aparência da pele.

Sugere-se, então, que o consumo de colágeno pode ser benéfico quando já existe um fornecimento suficientes de proteínas de boa qualidade para suprir toda a necessidade de aminoácidos essenciais para a formação de proteínas e bom fornecimento de energia. Do contrário, todo o aminoácido ingerido será desviado para os locais prioritários em que há necessidade de formação de proteína, não necessariamente a pele.

Ainda é cedo para fazer recomendações com relação a ingestão adequada de colágeno em alimentos e suplementos, mas avelha regra continua valiosa: uma boa alimentação leva a uma pele, cabelo, unhas saudáveis e de boa aparência, bem como a melhora da saúde de forma integral.

Nimni M. Collagen and Derived Peptides as Nutritional Supplements for Integumental Care. Journal of the American College of Nutrition. 2018.

Castellanos VH, Litchford MD, Campbell WW. Modular Protein Supplements and Their Application to Long-Term Care. Nutrition in Clinical Practice. 21:485–504. 2006

Liu D, Nikoo M, Boran G, Zhou P, Regenstein JM. Collagen and Gelatin. Annu. Rev. Food Sci. Technol. 6:527–57, 2015.


#colágeno #pele #skin #collagen #Suplementosalimentares

6 visualizações