Suco Detox funciona?


Se eu virar para você e falar: "Viu, suco detox é salada batida. Por que você simplesmente não come a salada?" você vai achar que sou grossa.

Mas, na minha opinião, quem inventou essa moda de suco verde/detox deve ser alguém que não gosta de comer saladas folhosas, saladas mistas ou agridoces, e deve ter pensado: "acho que vou bater essas coisas verdes com alguma fruta e quem sabe o sabor disso tudo misturado fica melhorzinho?". Mas a aparência... pode até ficar gostoso, mas não venha me dizer que fica bonito! Não fica, não!

Além dessas considerações estéticas a respeito da cor e do sabor, há um conceito pairando ali no senso comum de que começar a tomar suco verde/detox emagrece, é o supra sumo da alimentação saudável.

Várias pessoas que já atendi começaram seus relatos com:

"Ah, fiz algumas mudanças na minha alimentação. Comecei a tomar suco verde. Tomo todo dia de manhã e à noite". (Às vezes, esse relato vem acompanhado também do "e Parei de comer pão". Se você investigar mais um pouquinho a história alimentar do sujeito, poderá descobrir que antes disso e até depois deste acontecimento, não aparecem verduras, legumes e frutas fora do suco, nas grandes refeições).

Vamos refletir:

Todos os ingredientes contidos nesses sucos são os mesmos componentes das saladas. Tudo bem se for uma pessoa que odeia saladas por conta das texturas e sons que as verduras podem emitir ao serem mastigadas (sim, já atendi paciente com esse tipo de aversão) e substituir por suco verde, mas isso é um caso isolado.

Logo, não há nada de milagroso nesses sucos caso você já tenha uma alimentação variada e rica em frutas, verduras e legumes. Você, provavelmente, não vai emagrecer só de acrescentá-los no seu cotidiano sem algumas outras mudanças de hábito.

E, cá para nós, o que você realmente sente mais vontade de experimentar:

O suco detox com essa cor verde brilhante?

ou

A saladinha colorida disposta de maneira que enche os olhos no prato e ao ser mordida preenche sua boca de diferentes sabores e texturas?

O que temos de evidências científicas sobre isso: não há ainda estudos suficientes capazes de comprovar o efeito dessas combinações "detox".

Sabe-se que os vegetais (frutas, verduras e legumes) contêm antioxidantes naturais, como flavonoides, vitaminas, alguns minerais.

Contudo, atenção! Esses micronutrientes desempenham esse papel benéfico em determinados contextos e, em outros, podem se tornar pró-oxidantes. Nada que uma alimentação variada, com mais alimentos in natura e minimamente processados e menos alimentos ultraprocessados não dê conta.

E chega de dietas! Consulte um(a) nutricionista, se precisar de ajuda!

Leia também: Trust me, I'm a doctor! Are ‘antioxidant-rich’ products good for me?

Referências:

Klein, AV; Kiat, H. Detox diets for toxin elimination and weight management: a critical review of the evidence. Journal of Human Nutrition and Dietitcs. 18 Dec 2014 doi: 10.1111/jhn.12286

Bianchi, MLP; Antunes, LMG. Radicais livres e os principais antioxidantes da dieta. Rev. Nutr., Campinas, 12(2): 123-130, maio/ago., 1999.

Cultura E Tal:

The Baker's Wife (1938)

O filme é baseado em um livro de Jean Giono, um doce conto pastoral, sobre um padeiro que fica pertur-bado quando sua esposa o deixa.

O padeiro então passa-se a recusar a fornecer pão à aldeia até ela voltar para ele.