Hibisco: quais os benefícios à saúde?

Aquele chá com hibisco ou aquela cápsula manipulada funcionam?

Pertencente à família das Malváceas e originário da África tropical, o hibisco, também conhecido como Rosa de Jamaica, Rosa de Abisinia ou Karkade, é cultivado nas áreas da América Central e do Sul e no Sudeste Asiático, principalmente.

No mundo existem mais de 300 espécies e a mais conhecida e utilizada é a Hibiscus sabdariffa, sendo também uma das mais estudadas.

Essa espécie de flor apresenta em sua composição altas concentrações de ácido L-ascórbico, ácido araquídico, ácido cítrico, ácido esteárico y ácido málico, além de pectina, fitosteróis, polifenóis e flavonóides.

O consumo de hibisco pode conferir benefícios à saúde que incluem efeitos hipolipidêmico, hipoglicemiante, anti-inflamatório, anti-aterogênico e anti-hipertensivo, muito provavelmente advindos dos polifenóis e flavonóides, embora os mecanismos de ação ainda não estejam completamente elucidados.

Sabe-se até agora que as ações desses compostos ocorrem principalmente a nível vascular e na redução dos radicais livre de oxigênio.

OBSERVAÇÃO 1: o hibisco é muito bom! No entanto, não

existe dose estabelecida para os efeitos relatados.

  • Na Hipertensão Arterial

O efeito anti-hipertensivo do hibisco tem ganhado consistência nos últimos anos, como tratamento complementar às medicações para Hipertensão Arterial, sendo necessário estabelecer as possíveis interações medicamentosas dessa planta e a dose adequada para atingir os efeitos potenciais.

Estudos comparativos entre hibisco e medicações anti-hipertensivas tem mostrado bons resultados do hibisco de forma isolada no efeito final esperado.

Os desfechos mais promissores até o momento mostram que é possível incluir essa planta na alimentação na prevenção da Hipertensão, principalmente quando há história familiar, e no tratamento dos níveis leve e moderado da doença.

  • Na Obesidade

Na obesidade, o hibisco pode ser usado na prevenção e não diretamente no tratamento, visto que os compostos agem na etapa de diferenciação dos adipócitos. Ou seja, pode haver benefícios no consumo durante o tratamento não diretamente no peso, mas em outros parâmetros, como os efeitos supracitados.

Em animais, foi observada perda de gordura corporal, não comprovada em humanos.

OBSERVAÇÃO 2: o hibisco não contribui diretamente

no processo de emagrecimento.

É sempre importante salientar que ao incluir alimentos e plantas para obter benefícios à saúde e principalmente quando já existe histórico de doenças crônicas, é fundamental procurar apoio profissional qualificado de um médico e/ou nutricionista para sua utilização segura.

Referências

Guardiola S, Macha N. Potencial terapéutico del Hibiscus sabdariffa:una revisión de las evidencias científicas. Endocrinol Nutr. 2014; 61(5): 247-295

Serban C, Sahebkar A, Ursoniu S, Andrica F, Banach M. Effects of sour tea (hibiscus sabdariffa L.) on arterial hypertension: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. J Hipertens. 2015; 33:1119-1127.

Da-Costa-Rocha I, Bonnlaender B, Sievers H, Pischel I, Heinrich M.Hibiscus sabdariffa L. - a phytochemical and pharmacological review. Food Chem. 2014;165:424-43.

Cultura E Tal:

The Baker's Wife (1938)

O filme é baseado em um livro de Jean Giono, um doce conto pastoral, sobre um padeiro que fica pertur-bado quando sua esposa o deixa.

O padeiro então passa-se a recusar a fornecer pão à aldeia até ela voltar para ele.